terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Identificação dos principais grupos de bromélias

Havia prometido, nesta postagem, que trataria da classificação dos principais gêneros de bromélias.
Como há bastante informação, dividirei o material em duas postagens.
Vai aí a primeira:
A família Bromeliaceae é dividida em 3 subfamílias: Bromelioideae, Tillandsioideae e Pitcairnioideae. Cada uma das subfamílias comporta um grupo de gêneros com distintos hábitos de desenvolvimento:


Subfamílias
Gêneros
Hábitos
T
R
S
E



Bromelioideae

Aechmea


X
X
Ananas
X



Bromelia
X



Billbergia

X

X
Cryptanthus
X

X

Neoregelia



X
Nidularium



X
Quesnelia



X

Tillandsioideae

Alcantarea

X
X

Guzmania



X
Tillandisia



X
Vrisea



X
Pitcairnioideae

Dyckia

X
X

Encholirium

X
X

Pitcairnia
X

X


T: terrestre: na terra ou em folhas que se acumulam sobre o solo (serrapilheira)
R: rupícolas: rochas
S: saxícolas: fendas nas pedras, onde se acumulam materiais orgânicos e rocha em degradação
E: epífitas: árvores
Quanto à forma de nutrição, as bromélias se classificam em:
1.solo-dependentes: sem tanque, não podem reter água, as raízes, então, são funcionais. Exemplo: Dyckia

Gênero Dyckia
2. prototanques: tanques capazes de reter pouca água por tempo limitado, as raízes, então, são funcionais. Exemplo: Ananas, Bromelia

Gênero Ananas 
3. tanque-dependentes: tanques bem desenvolvidos, raízes pouco funcionais, utilizadas para fixação, as escamas foliares, então, são eficientes na absorção de água e nutrientes. Exemplo: Vriesea, Neoregelia

Gênero Neoregelia
4. atmosférias: sem tanque, raízes rudimentares, escamas foliares altamente eficientes na absorção de água e nutrientes. Exemplo: Tillandsia

Gênero Tillandsia

Continua em outro post!

Um comentário: